o
projeto

O presente projeto é promovido no âmbito Fundo Social Europeu (FSE), Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE), Eixo Prioritário 3 – Promover a inclusão social e combater a pobreza e discriminação, tipologia de operação 3.10 Contratos Locais de Desenvolvimento Social (CLDS)

O CLDS – Trofa 3G Motor de Oportunidades é um projecto para toda a comunidade que decorrerá em todo o concelho da Trofa entre 1 de Outubro de 2015 e 30 de Setembro de 2018.

Este projecto realizar-se-á em proximidade com a comunidade e almeja-se promover a inclusão activa da população, bem como combater as situações de exclusão social, em particular a pobreza infantil que surge ligada aos agregados familiares com crianças e jovens, capacitando as suas famílias com os instrumentos necessários e adequados para uma integração social com sucesso.

Este projecto é desenvolvido por um consórcio local composto pela CVP Delegação da Trofa, AEBA e ASAS, que desenvolverão em conjunto 22 acções.

Um projecto da Trofa, para a Trofa!

"Quando as pessoas deixam de se comunicar umas com as outras,
nasce o desentendimento.
Enquanto houver comunicação - não argumentação,
mas debate com atitude receptiva
existe esperança de cultivar a compreensão e a harmonia."
Sri Daya Mata

Objetivos

O projecto tem como objectivos:

  1. Promover a criação de circuitos de produção, divulgação e comercialização de produtos locais e ou regionais de modo a potenciar o território e a empregabilidade;

  2. Promover o desenvolvimento de instrumentos facilitadores tendo em vista a mobilidade de pessoas a serviços de utilidade pública, a nível local, reduzindo o isolamento e a exclusão social;

  3. Promover o desenvolvimento de instrumentos capacitadores das instituições da economia social, fomentando a implementação de serviços partilhados que permitam uma maior racionalidade de recursos e a eficácia de gestão;

  4. Promover a inclusão social dos cidadãos, de forma multissetorial e integrada, através de acções, a executar em parceria, que permitam contribuir para o aumento da empregabilidade, para o combate a situações críticas de pobreza, particularmente da infantil, da exclusão social de territórios vulneráveis, envelhecidos ou fortemente atingidos por calamidades;

  5. Concretizar medidas que promovam a inclusão activa das pessoas com deficiência e incapacidade, bem como a capacitação das instituições.

Eixos de
intervenção

As acções a desenvolver pelos CLDS-3G integram os seguintes eixos de intervenção:

  1. Eixo 1: Emprego, formação e qualificação;

  2. Eixo 2: Intervenção familiar e parental, preventiva da pobreza infantil;

  3. Eixo 3: Capacitação da comunidade e das instituições;

As ações obrigatórias no âmbito do eixo 1 consistem em:

  1. Estabelecer uma estreita parceria com o Instituto do Emprego e da Formação Profissional, I. P. (IEFP, I. P.), no sentido de favorecer os processos de integração profissional, social e pessoal, dos desempregados, designadamente:

    1. Capacitar e ajudar a desenvolver atitudes de procura ativa de emprego;

    2. Informar sobre o conteúdo e abrangência das medidas ativas de emprego e oportunidades de inserção em instituições do território;

    3. Apoiar o enquadramento de projetos de autoemprego e de empreendedorismo nos diferentes programas instrumentos de apoio, promovendo o encaminhamento dos interessados para o apoio técnico;

    4. Informar e encaminhar para oportunidades de qualificação desenvolvidas pelas autoridades públicas e privadas;

  2. Sensibilizar os empresários, as instituições e as entidades empregadoras locais para uma participação ativa na concretização de medidas ativas de emprego e em processos de inserção profissional e social;

  3. Contribuir para a sinalização, encaminhamento orientação de alunos que abandonam ou concluem o sistema educativo, no sentido de desenvolver ações de favorecimento da integração profissional;

  4. Desenvolver ações que estimulem as capacidades empreendedoras dos alunos do ensino secundário, numa perspetiva de reforço da iniciativa, da inovação, da criatividade, do gosto pelo risco e que constituam uma primeira abordagem à atividade empresarial;

  5. Promover a criação de circuitos de produção, divulgação e comercialização de produtos locais e ou regionais de modo a potenciar o território e a empregabilidade.

As ações obrigatórias no âmbito do eixo 2 consistem em:

  1. Estratégias genericamente aplicáveis ao nível da qualificação das famílias, designadamente informação dos seus direitos de cidadania, desenvolvimento de competências dos respetivos elementos e aconselhamento em situação de crise;

  2. Estratégias direcionadas para as crianças e jovens, promovendo estilos de vida saudáveis e de integração social, numa perspetiva holística e de envolvimento comunitário, nomeadamente ao nível da promoção: da saúde, do desporto, da cultura e da educação para uma cidadania plena;

  3. Estratégias direcionadas para a mediação dos conflitos familiares, particularmente no caso de famílias com crianças, em articulação com as equipas que intervêm com as famílias e/ou as suas crianças, promovendo a capacitação das famílias e a proteção e promoção dos direitos das crianças e jovens.

As ações obrigatórias no âmbito do eixo 3, tendo em vista a capacitação da comunidade e das instituições, consistem em:

  1. Desenvolvimento de ações de apoio técnico à auto-organização dos habitantes e à criação/revitalização de associações, designadamente de moradores, temáticas ou juvenis, através de estímulo dos grupos alvo, de acompanhamento de técnicos facilitadores das iniciativas, e da disponibilização de espaços para guarda de material de desgaste e de apoio;

  2. Desenvolvimento de instrumentos facilitadores tendo em vista a mobilidade de pessoas a serviços públicos de utilidade pública, a nível local, reduzindo o isolamento e a exclusão social.